Os principais sintomas de alcoolismo e como a hipnose pode ajudar a tratar

Na última década, o alcoolismo cresceu significativamente, em especial entre jovens e idosos. Estima-se que pelo menos uma em cada dez pessoas que consomem álcool regularmente, irá se tornar um alcoólatra. O problema é que ninguém acredita que é um dependente químico em potencial. Apesar do pensamento “isso não acontecerá comigo” ser muito comum, qualquer indivíduo que consuma bebidas alcoólicas tem possibilidades de sofrer com alcoolismo.


Entre as características mais comuns em um alcoólatra, a principal está a busca desesperada para preencher buracos emocionais, sentimentos de angústia e emoções indefinidas que estão incrustadas em seu subconsciente. E, apesar de existir uma pequena parcela da população que consegue se livrar sozinha do vício do álcool — cerca de 2% a 3% apenas — a questão é que a grande maioria necessitará de tratamento para alcoolismo.


Neste conteúdo, mostraremos os sintomas do alcoolismo, os estágios dessa doença e como a hipnose ajuda a tratar o vício do álcool. Quer saber mais sobre o assunto? Então acompanhe a leitura para conferir!


O que é alcoolismo?


Por definição, alcoolismo é qualquer nível de uso de bebidas alcoólicas que causam prejuízos à vida da pessoa, à sociedade e/ou a ambos. Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), a saúde não se caracteriza apenas pela ausência de enfermidades e afecções, mas também pelo completo estado de bem-estar físico.


Sendo assim, é correto afirmar que o vício de álcool é considerado uma doença, inclusive está catalogado no Código Internacional de Doenças como “Transtornos Mentais e Comportamentais devidos ao uso de álcool — CID10 — podendo ser classificado entre F10.0 a F10.9.


Quais são os sintomas do alcoolismo?


Físicos

  • Tremores nas extremidades digitais;

  • Emagrecimento;

  • Olhos avermelhados;

  • Vômito pela manhã;

  • Anorexia;

  • Pelagra;

  • Pancreatite;

  • Contusões repetidas;

  • Nistagmo;

  • Disfunção sexual;

  • Delirium-tremens.

Psicológicos

  • Amnésia lacunar;

  • Nervosismo;

  • Alucinações;

  • Alteração no estado de ânimo;

  • Zoopsias;

  • Insônia.

Comportamentais

  • Absenteísmo em atividades que antes eram comuns — trabalho, eventos familiares, eventos escolares dos filhos, etc;

  • Retração ao falar sobre bebida;

  • Baixa produtividade;

  • Hálito alcoólico;

  • Uso de purificador de hálito;

  • Dívidas acima do comum;

  • Acidentes de trânsito.

Sociais

  • Rejeição social;

  • Má adaptação social e familiar;

  • Problemas com a família, amigos, emprego, polícia, etc.

Laboratoriais (solicitação médica)

  • Triglicerídios;;

  • Volume Copuscular Médio das Hemácias (VCM);

  • Gama Glutamil Transferase (GGT).

Quais são as fases do alcoolismo?


É muito importante analisar os comportamentos da pessoa que está apresentando sintomas de alcoolismo para compreender em qual fase da doença ela se encontra, pois quanto mais cedo o problema for identificado, mais fácil será para tratá-lo.


Estágio 1. Pré-alcoólica

  • Beber por prazer;

  • Beber ocasionalmente para obter alívio;

  • Aumento da tolerância.

Estágio 2. Prodômica

  • Beber pela manhã;

  • Beber escondido;

  • Início dos blackouts de memória — apagamento, amnésia lacunar;

  • Incapacidade para falar sobre o problema.

Estágio 3. Crucial

  • Problemas ocupacionais e familiares;

  • Deterioração física;

  • Tremores nas extremidades digitais;

  • Diminuição da capacidade de controle sobre a bebida;

  • Beber amparado de desculpas.

Estágio 4. Crônica

  • Medos indefinidos;

  • Intoxicação crônica;

  • Obsessão por beber;

  • Completa derrota admitida;

  • Todos os álibis descartados.

Como é feito o diagnóstico de alcoolismo?


Para que o dependente de álcool inicie o tratamento, é fundamental que ultrapasse seus mecanismos de defesa que, na maioria dos casos, são compostos por:


Negação — o indivíduo nega insistentemente que tem problemas ligados à sua relação inadequada com a bebida;

Racionalização — o indivíduo sempre tem respostas “plausíveis” e convincentes para qualquer pergunta que lhe seja feita;

Projeção — há uma forte tendência que ele projete a culpa de sua situação em alguém ou alguma situação, como problemas financeiros, incompreensão pelo cônjuge, etc.


Não é raro acontecer do alcoólatra sentir que tem sua privacidade invadida e acabar soltando frases defensivas como “eu pago pela bebida, então bebo quando e como quero”, “posso parar quando eu quiser”, “meu problema não é da conta de ninguém”, e assim por diante.


O diagnóstico é iniciado com uma anamnese detalhada, na qual as motivações para que a pessoa beba de maneira inadequada serão avaliadas. Além disso, será feita a clássica pergunta “por que você quer parar de beber?”.


Como o desejo de parar precisa partir do paciente, é importante que a resposta seja convincente, e não pelo fato de que a pessoa está pressionada por familiares e amigos. As sessões de hipnose para tratar alcoolismo são altamente eficientes e apresentam resultados notáveis em pouco tempo de tratamento, contudo é imprescindível que o paciente tenha um desejo sincero pela mudança.


Como a hipnoterapia pode ajudar a tratar alcoolismo?


A hipnose como tratamento para alcoolismo, e tantas outras doenças, é algo que tem se tornado cada mais comum por profissionais da área da saúde. Atualmente, não apenas psicólogos utilizam a técnica, mas também fisioterapeutas, médicos e até odontólogos. A finalidade é buscar emoções incompreensíveis para o entendimento de quem procura ingerir álcool diariamente para esquecer. A questão é: esquecer o que?


Muitas vezes, o dependente sequer sabe o que quer esquecer, pois a emoção que ele tenta ocultar está muito além da análise, e é neste ponto que a hipnoterapia tem um papel fundamental, pois ajuda o paciente a identificar os motivos que o fazem se entregar ao vício e a tratá-los em sua essência.


A hipnose permite ao indivíduo acessar os fatores críticos que geram comportamentos de risco e a reprogramá-los com hábitos saudáveis, conduzindo o paciente a um nível de sensação de tranquilidade, paz, restauração do seu autocontrole e domínio sobre sua vida.


Quer saber mais sobre como podemos ajudar a tratar este e muitos outros vícios e problemas comportamentais? Então entre em contato com a gente para marcar a sua consulta de hipnose em Santos agora mesmo!

0 visualização

(11) 95550-2907  /  (13) 99717-6375     /     E-mail: clinicasheknah@gmail.com

Santos: Av. Conselheiro Nébias, 754, Conj. 2508/1813, Boqueirão, Santos - SP

São Paulo: Vila Madalena e Conjunto Nacional (Av. Paulista)

  • w-facebook
  • w-tbird
  • google+